VAMOS LOCADORA QUER FORTALECER A TERCEIRIZAÇÃO DE FROTAS NO BRASIL


A Vamos, do grupo Simpar, que atua em locação e venda de caminhões, máquinas e equipamentos, está apostando num avanço do modelo de aluguel de ativos, que no Brasil é ainda é pouco explorado.

Enquanto nos EUA 25% da frota caminhões é alugada, aqui o Brasil só 1% das unidades não integra o ativo fixo das transportadoras ou empresas com área logística.

Em entrevista ao site NeoFeed, o CEO da Vamos, Gustavo Couto, avalia que a percepção do aluguel como alternativa rentável passará a ser maior, na medida em que as empresas se derem conta do custo de propriedade desfavorável, por vários motivos. Entre estes podemos citar os juros altos, encarecimento da manutenção, complicações na gestão de obsolescência.


Ele aposta que uma avaliação de longo prazo, ponderando custo de capital, versus a redução da expansão do imobilizado, vai aparecer de forma nítida para os gestores.

Couto relata que, antes de ingressar na Vamos, atuava como gestor de supply-chain, e nem sequer conhecia boas ofertas de locação, que poderiam tê-lo ajudado a economizar e ganhar flexibilidade na modelagem de frotas.

Após passar a propagandear sua oferta de locação, a Vamos cresceu 64% em receitas no primeiro trimestre de 2022, atingindo R$ 122 milhões entre janeiro e março.

O Grupo Vamos tem 29 mil veículos locados e em atuação. Conta também com uma rede de concessionárias, composta por 40 lojas próprias das marcas Transrio (Volkswagen Caminhões e Ônibus), Fendt (máquinas agrícolas premium), Valtra (máquinas e equipamentos agrícolas), Komatsu (distribuidor de máquinas e equipamentos de linha amarela) e Toyota Empilhadeiras, além 11 de lojas de seminovos.


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo